O céu é o oceano

Não vejo como uma célula do estômago possa ser inferior ao estômago. Ou como o estômago possa ser inferior ao coração. Então, como posso ser inferior ao meu Eu Superior? Ou menos que a deusa/o deus. Como posso ser comparada a eles, se sou uma unidade com eles? Se tudo é UM. Unidade. Infragmentável. AnalisarContinuar lendo “O céu é o oceano”

Quero pessoas que sim

Eu sou muito desorganizada. Reconheço. Eu tento não desarrumar nada. Tiro a primeira peça de roupa que acho na gaveta, visto e pronto, não troco por nada. Guardo a carteira e coisas pequenas no primeiro zíper da bolsa para achar fácil. Coloco apenas uma camisa com uma calça em cada cabide para não tirar umaContinuar lendo “Quero pessoas que sim”

Nem tudo é como se espera

Algumas vezes as coisas não saem como planejado. A batata não cozinha, o creme de leite talha, acaba a lenha antes de terminar o jantar, o ovo quebra errado, o gosto não era esse. Simplesmente o resultado não sai como esperado. Tinha tudo para dar certo e não deu. Outro dia isso aconteceu comigo. PrepareiContinuar lendo “Nem tudo é como se espera”

Um jantar de presente

Resolvi preparar um jantar bem rico e saboroso para terminar o dia diferente de como começou hoje. Deixei a irritação cansada de lado e preparei o capellini mais perfumado que podia fazer, com os ingredientes de que dispunha. Capellini ao molho de berinjela e pimenta doce recheada de tomate seco e castanhas, no azeite extraContinuar lendo “Um jantar de presente”

P & B – faça-se luz!

Gosto de PB por sua dramaticidade… pela luz e pela forma como concentra a atenção… A luz parece dirigir o olhar sem forçar nada, como a água que escorre, como a vida é… E a vida vibra, permeia a dureza da pedra, acalma o peito ansioso, faz girar no seu tempo, do seu jeito, aContinuar lendo “P & B – faça-se luz!”

Não tente me salvar

Não tente me salvar. Quero viver tudo que há para viver. Quero ter meus próprios erros sem me preocupar com quantidade. Quero, sobretudo, errar muito, tantas vezes precisar. Traçar o caminho invisível do meu sonho. Depois, pisar as pedras que houver para pisar. Quero ir fundo no fundo de tudo. Doer até a última veiaContinuar lendo “Não tente me salvar”

Crônica da Roça

Esperar que a comida mineira não tenha nunca gordura de porco é como pedir para um cozinheiro francês não usar manteiga, é tirar sua alma. Isso dito por alguém que não come nenhum tipo de carne ou derivados há mais de trinta anos pode parecer esquisito. Mas eu não vou reescrever a culinária tradicional, aoContinuar lendo “Crônica da Roça”