Cores…

Gosto de preto e branco, mas gosto das cores vivas presentes na natureza, que frequentam os lugares comuns, galhos de árvores, no meio do mato, escondidas nas sombras ou expostas até quase perder o matiz. As cores que se movimentam com o vento, que balançam despreocupadas dos olhares que lhe furtam. Nem tanto pelo brilho,Continuar lendo “Cores…”

Aproveito o silêncio da noite

Aproveito o silêncio da noite para pensar na vida um pouco. Já está chegando o inverno. As quaresmeiras floridas enfeitam os verdes da mata que agora apenas vislumbro a silhueta. Tem árvores que perdem as folhas, outras perdem pinhões nessa estação. Um pouco perdi também, um pouco ficou para trás. Não me arrependo. Mudei deContinuar lendo “Aproveito o silêncio da noite”

O céu é o oceano

Não vejo como uma célula do estômago possa ser inferior ao estômago. Ou como o estômago possa ser inferior ao coração. Então, como posso ser inferior ao meu Eu Superior? Ou menos que a deusa/o deus. Como posso ser comparada a eles, se sou uma unidade com eles? Se tudo é UM. Unidade. Infragmentável. AnalisarContinuar lendo “O céu é o oceano”

Quero pessoas que sim

Eu sou muito desorganizada. Reconheço. Eu tento não desarrumar nada. Tiro a primeira peça de roupa que acho na gaveta, visto e pronto, não troco por nada. Guardo a carteira e coisas pequenas no primeiro zíper da bolsa para achar fácil. Coloco apenas uma camisa com uma calça em cada cabide para não tirar umaContinuar lendo “Quero pessoas que sim”

Nem tudo é como se espera

Algumas vezes as coisas não saem como planejado. A batata não cozinha, o creme de leite talha, acaba a lenha antes de terminar o jantar, o ovo quebra errado, o gosto não era esse. Simplesmente o resultado não sai como esperado. Tinha tudo para dar certo e não deu. Outro dia isso aconteceu comigo. PrepareiContinuar lendo “Nem tudo é como se espera”

Um jantar de presente

Resolvi preparar um jantar bem rico e saboroso para terminar o dia diferente de como começou hoje. Deixei a irritação cansada de lado e preparei o capellini mais perfumado que podia fazer, com os ingredientes de que dispunha. Capellini ao molho de berinjela e pimenta doce recheada de tomate seco e castanhas, no azeite extraContinuar lendo “Um jantar de presente”

As bruxas estão de volta

As bruxas estão de volta. Agora voando soltas e leves pelas aldeias físicas e virtuais. Isso mostra que as coisas andam mudando para o lado do feminino, embora haja um nítido movimento de reatividade. É que o feminino, diferentemente do masculino, não é contundente, não compete, não entrincheira nem revida. Claro, o verdadeiro feminino. MasContinuar lendo “As bruxas estão de volta”

A leveza do movimento

A beleza leve que o movimento faz, como uma dança cuja música apenas se intui de passagem. Parece que o beija-flor é um mensageiro. Tem as asas de mercúrio, a divindade do vento, e a velocidade necessária no gesto. Não me deixe só seu beijo, diga seu nome. Assim, repetido no ar, o eco meContinuar lendo “A leveza do movimento”

Amor incondicional

Que nome os animais dariam para significar o que sentem por nós, humanos? Nós que somos animais esquecidos das origens, que não nos reconhecemos animais. Pelo que nos chamariam pelo olhar que sabe, que entende, que sustenta? Talvez complacência, talvez um pouco de tédio mal disfarçado, mas amor sem dúvida. amor quase disfarçado de perplexidade,Continuar lendo “Amor incondicional”