Com amor

Quanto a mim, não alimente ilusões a meu respeito. Sou daqueles humanos exagerados na paixão e apaixonados na vida. Transbordando, sou grande, espaçosa e feliz. Vazia, sou poesia. E nos outros momentos, entre uma coisa e outra, eu quero muito.

A paixão se renova a cada paixão, como as ondas do mar. Subindo e descendo, levando e trazendo. Quem, como eu, se alimenta de paixão passa fome às vezes. Mas nunca come frio. Move-se entre chamas, os pés na brasa, as asas batendo aumentando o fogo. Nunca ocupando muito espaço na hora que está presente. E jamais deixando vago quando distante. Por isso, faço da paixão a lenha para minha vida. E deixo o vento apagar o rastro de cinza inevitável.

Não alimente ilusões porque sou pouco provável. Voo na hora do abraço e despeço-me no encontro. Gargalho durante o concerto quando tocada, profunda. Já preferi o sonho, a quimera e o impossível. Hoje procuro a vida que se concretiza ereta apesar da gravidade, que flexiona ainda que certa, e, acima de tudo, a vida que se propõe aberta, quem sabe, ao amor, ao risco, ou à própria ilusão.

Porque viver é cheio de ilusões, acertos e riscos. Tudo pode dar certo. Ou não. E mesmo quando não dá, é o que deveria ser. A certeza de viver é a inconstância das emoções que podem se sobrepor, ora querendo muito, ora partindo cedo. A vida na intensidade de um instante de pleno prazer e depois passando.

Tudo passa e tudo acaba. Finda o dia com o pôr do sol. Finda a lua cheia com a minguante. Finda a vida a qualquer momento. E assim o amor. Será? Morrerá o amor com todas as flores que ele traz hoje? Morrerá depois de tantas promessas, gargalhadas e lágrimas, olhares sinceros e beijos sem fim? Amor morre, por fim?

Se o amor é qualidade da alma, ele também deve ser imortal. Deve ultrapassar os limites da vida cotidiana, de amanheceres com café perfumado e pão quentinho, de banhos abraçados, e presentes do destino. E se reencontrar em outra vida, em outro olhar, no momento certo em que chega o bilhete para a viagem prometida.

Eu me prometi você. Esperei. Distraí. Disfarcei. Agora que eu ganhei meu presente, posso abrir um sorriso para o universo saber que o amor não tem duração, não tem tempo, não tem fim. Começa quando encontra. E encontra quando nem procurava. Meu amor apenas estava apartado do seu até o dia que se lembraram de si mesmos feitos um só. Então, como a flor que se abre para o sol, ou a chuva que alimenta a raiz, invisíveis nos fios que se unem, nos abraçamos.

Posso sentir seu sorriso e ouvir seu coração. E você saberá de mim quando nem mesmo eu saberei onde estou. No mais, fazemos declarações de amor sem palavra, e nos regozijamos da presença quente, vibrante, com apenas um olhar casual. Estou em você e você em mim. Meu sangue batendo em seu peito, no calor da pele que se deseja. Não procuro seu amor, não preciso dele. Seu amor sou eu.

E quando tudo o mais falhar ou já não houver, quando tiver sede ou faltar calor, quando o abrigo não for possível, nem possível o colo, o meu amor estará lá na sua casa, à sua espera. E você deve saber para não se confundir nunca: é apenas parte do meu amor aquele que dedico a você. Na minha vida continuarão existindo outros especiais como você que já passaram ou ainda estão, outros amores, outras paixões. E, se o amor não tem tempo nem espaço posto que é alma, é todo ele seu.

Ainda assim, não alimente ilusões. Alimente o amor que é eterno, para além da vida e para além do rio que deságua no mar. Alimente a certeza de que o perfume, seja ele azul como a lavanda, ou delicado como a verbena, o perfume da vida é o mesmo em tudo que rescende amor para que possamos nos reconhecer nele. Inteiro e sem tempo.

Publicado por fe kurebayashi

alquimista de sabores e das palavras.... selvagem como toda mulher deve ser!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: